Time Out Lisbon reviews by Jose Carlos Fernandes


cf095Mário Barreiros Sexteto Dedadas (A Chave do Som) **
João Lencastre’s Communion One (Fresh Sound New Talent) ***
Júlio Resende Da alma (Clean Feed/Trem Azul) ****
Três álbuns de estreia portugueses, um de um músico e produtor com longa experiência (Barreiros) e dois de jovens talentos (Lencastre e Resende), dão conta de um momento animado no jazz nacional.
Ao jazz já chamaram “the sound of surprise” mas Dedadas, de Mário Barreiros, é a previsibilidade feita disco. O CD tem sete temas mas o sexteto poderia, com a mesma tranquilidade e competência, ter produzido 70. “Juvenal” parece querer quebrar o morno embalo, mas é um momento passageiro. Logo se regressa à amena cavaqueira e quando, quase a fechar, o tema “Dedadas” se abalança ao paroxismo, este soa a falso.
One, do grupo Communion, liderado pelo baterista João Lencastre e gravado ao vivo no Hot Clube, é outra coisa, em boa parte por “culpa” de um pianista de nível superior, Bill Carrothers, que literalmente “rouba o espectáculo”. Já Phil Grenadier (trompete) raramente está à altura dos pergaminhos. É pena que o crédito amealhado, muito por mérito de Carrothers, em “Lonely woman” e “Summertime” seja dissipado na banalidade de “New World” (de Björk) e “108” (com Carrothers mais apagado).
Em Da Alma, do pianista Júlio Resende, está presente algo que falta nos outros dois CDs: uma personalidade musical, com algo de seu para exprimir – uma “alma”, se se quiser ir para a metafísica. O quarteto tem João Custódio no contrabaixo e o saxofone está repartido entre Alexandra Grimal e Zé Pedro Coelho e a bateria entre João Lobo e João Rijo. Mas são as composições e intervenções do líder, “moderno” mas sem perder de vista a melodia, que marcam a diferença. Aguarda-se que o futuro traga mais música na linha de “Filhos da revolução” e “Um dia de férias”.

+ There are no comments

Add yours