Time Out | Alberto Conde Iberian Roots Trio – The Wake of an Artist: A Tribute to Bernardo Sassetti ****


By José Carlos Fernandes

O futuro trar-nos-á certamente mais álbuns de homenagem a Bernardo Sassetti (1970-2012),
pois o seu precoce desaparecimento deixou um vazio difícil de colmatar. Coube a um galego, o
pianista Alberto Conde, rubricar o primeiro, mas isso nada tem de estranho, dadas as afinidades
entre Portugal e a Galiza, evidentes logo no título da faixa 1, da autoria de Conde: “Taken by
Lisbon”. Muita gente “de fora” se tem declarado fascinada/seduzida/conquistada por Lisboa,
mas nenhuma o exprimiu com tão certeira combinação de bulício e melancolia.
A faixa 2, “The Wake of an Artist”, assume registo muito diverso, com um balanço latino
preguiçoso e desconjuntado, que serve para lembrar que, embora tenha, depois, privilegiado a
depuração e a melancolia, Sassetti se estreou com o álbum Salsetti (1994), que fervilhava com
ritmos latinos. “Monksetti” revela outra influência (menos óbvia) da música de Sassetti:
Thelonious Monk. O percurso pelas referências de Sassetti passa, necessariamente, pela
“Musica Callada n.º 1”, de Mompou, sobre quem o pianista declarou, em entrevista de 2010 à
Time Out Lisboa: “Há qualquer coisa de muito especial na sua música: transparência, delicadeza
e, ao mesmo tempo, força e energia”. Estas qualidades passaram para as composições de
Sassetti, como atestam as faixas “O Sonho dos Outros” (com Conde a solo), “Reflexos” e
“Noite – Alice”.
A genuinidade desta homenagem decorre não só do amor de Conde pela música de Sassetti
como do facto de os outros elementos do Iberian Roots Trio serem Carlos Barretto e Alexandre
Frazão, que fizeram parte do trio de Sassetti durante mais de 12 anos e com ele registaram as
obras-primas Nocturno, Ascent e Motion.

Buy

+ There are no comments

Add yours

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.